Wednesday, October 18, 2006

À Procura de Sana


Este livro é viva prova de algo em que creio profundamente. A vida é por vezes muito mais surreal do que qualquer romance da dita corrente. Tinha saudades de ler Zimmler, e aumentou a vontade de ler o que dele ainda não conheço. O que me fascina na sua escrita não é propriamente o seu estilo per se, mas o olhar e coração. Preguei tanto, e ultimamente ainda mais, o diálogo, e no entanto dou por mim levando seriamente em consideração a conclusão, extremista aos olhos de tantos, de uma das personagens. Talvez por vezes o diálogo seja impossível, quando já se atravessaram linhas demasiado importantes e sagradas, quando tanto sangue já foi derramado, tantas palavras gritadas. Talvez a ausência, o afastamento do outro tenha de imperar. Durante algum tempo. Não posso crer que acabo de escrever isto. E que me sinto tentada a acreditar realmente nisto.







6 comments:

Jo Ann said...

Nunca li nada de Zimmler! :|

kanuthya said...

Acho que vais gostar! começa pel' O Último Cabalista de Lisboa :)

Jo Ann said...

Deixa anotar, senão esqueço na lista dos 100... :P

Effe said...

l'assenza non è solo mancanza di presenza.
E' un modo differente di esserci, solo un po' più in là

kanuthya said...

Vero effe, se non ci fosse presenza in qualunque modo, non ci sarebbe neanche assenza. Credo ti piacerebbe pure a te Zimmler :)

Anonymous said...

Não conheço mas vou "investigar".
-sardinheira-