Sunday, November 26, 2006

A Visita Matutina


Não, este não se tornou um blog de bicharada. Quer dizer, não mais do que a habitual. Também me considero bicheza.
O cinza felpudo já me anda a visitar há algum tempo, sábio que é do que me sucederia num futuro próximo. Exactamente na manhã em que o seu felino presságio tomou forma, atreveu-se a entrar enquanto eu continuava a teclar, passando por trás de mim e iniciando a sua inspecção da casa. Quando vislumbro, pelo canto do olho um volume escuro movendo-se e questiono o meu estado psíquico, dou com ele, indiferente ao meu espanto, como indiferente continuou perante os meus educados pedidos para que saísse (vive certamente na casa por baixo desta). Nos últimos tempos via-o na minha varanda, mirando-me sedutor através do vidro. Compreendi a sua mensagem e carinho, mas são de evitar confrontos com vizinhança, sobretudo quando esta já está algo ..."alterada" e aproveita qualquer momento em que me ponha a vista em cima para, além de me fazer um inquérito completo, me contar acerca de vidas alheias. A coscuvilhice escapa-me. De todo. Não que as pessoas não me interessem. Mas não tenho sede de vasculhar misérias alheias.
O senhor da foto é um exemplar muito semelhante ao meu visitante, estarei sem máquina fotográfica durante uns tempos.

3 comments:

carolina said...

Experiência. Segue ou não segue...

carolina said...

Seguiu.
Pois queria dizer que esse gato lá sabe porque resolveu fazer-lhe companhia.
Simpatias, sintonias, empatias...

kanuthya said...

Além do que está fisicamente provado, que alguns animais se apercebem da nossa segregação de adrenalina e outras substâncias, há neles uma sensibilidade mais etérea :)