Thursday, September 28, 2006

B.r.u.m.a.

(Lost in the Mist in someonespecial.com)

Barca rumorosa ululante mascarada alva. Bru-ma. Bruuu, ma. Gosto dos movimentos do aparelho fonador que permitem soprar estes sons. Agora que penso nisso, terá que ver com os dois sons iniciais, pois também gosto de bramido e Braga, e um pouco menos de bróculos.

Sonhei-te uma destas noites. Evito as noites o quanto posso, faço-o voltando a práticas antigas, tentando gingar o sono, voltear pé ante pé, esperando que ele não me leve para as viagens pouco repousantes. Sonhei-te e eras tu mas com o rosto que tinhas, o cabelo que tinhas, o vestido de fazenda que te picava que tinhas, buscando o conforto solitário da gola branca, que impedia que passasses o tempo coçando furiosamente o pescoço, os dentes pequenos que tinhas, o riso e o choro que tinhas, os sapatos de verniz que te obrigavam a calçar no Natal. Foi o único modo de te visitar nestes tempos. O que tens está na bruma, estendo uma mão, as duas, os braços em cruz para te apanhar e não te alcanço. Vivo o luto de um corpo vivo. Aprendo a vivê-lo. O resto vai caindo sobre terra, e começa a acreditar em magas que esconjuram sombras e, para meu desgosto, visto gostar tanto da palavra, brumas, sobre os outros. Então visito-te novamente no sono, para poder comunicar directamente com o que em ti permanece teu e meu e nosso, e digo-te que vou criar mil e uma poções que limpem os esconjuros, duvidando no mesmo momento dessa promessa, tentando não verter lágrimas, pois é a tua alma que me vê no sono, e ela ainda não sabe o que te aconteceu, não a quero sobressaltar. Durante o teu sono, vou também sussurrar-te que aqui só escrevo ficção. E, quiçá também eu, no sono, poderei acreditar, só por um pouquinho, que a bruma que te envolve se vai dissipar.


6 comments:

quel said...

um beijo e um obrigadaé só o que consigo deixar-te.

Ladybird said...

Cá tou eu outra vez, e mais uma vez, sem real resposta ao assunto colocado.
Apenas queria saber se há data limite de entrega do trabalho? :")

kanuthya said...

ladybird A resposta seguiu via mail :)

Carolina said...

Texto lindíssimo!
Mas que brumas andarão por aí???...
Daqui segue um sopro de aragem, quem sabe o sol não brilhará???
;)

kanuthya said...

quel sou eu a grata aqui, já é muito :)**

carolina obrigada. o sol brilha de qualquer forma, sempre em alguma parte

Anonymous said...

A bruma vai dissipar-se e tudo será mais claro, a paz fará eco, o sol aquecer-te-á durante o sono e a aurora acariciar-te-á todas as manhãs.