Monday, August 14, 2006

Bilhete a Lisboa


Diz-me das tuas fontes de pedra escurecida, dos cafés onde entram pombos sem pedir licença, que empregados de mesa enxotam julgando que os clientes se importam, dos eléctricos amarelos que passam soando sino, ainda passam, penso sempre que os vejo e ouço, ainda passam, penso, e pergunto-me até quando passarão.
Diz-me das escadarias estreitas, intermináveis que enfeitam o teu corpo, desta confidência tola feita entre duas fêmeas, em que uso pulseiras no tornozelo e tu escadinhas como enfeite, e, como gajas que somos, sorrimos das nossas vãs vaidades.
Diz-me como te manténs de luz banhada e céu azul, nessa sempre perpétua e renovada surpresa aos meus olhos; como atravessando as tuas pontes, que são os teus braços estendidos, vejo um manto cinzento que te envolve como um espectro mau, e depois, como?, diz-me, já perdida em ti, ergo sempre os olhos para um azul tão limpo. Tão azul.
Diz-me se guardas em algum recanto teu as cartas de amor que os poetas te vêm escrevendo desde tempos imemoriais.
Se nada disto me quiseres dizer não me inquieto, segues contando-me segredos, mesmo quando pareces estar mergulhada no teu silêncio.

9 comments:

CharlieBrown said...

bentornata ;-)

_+*A Elite in Paris*+_ said...

Bemvinda de novo por estas lides! tenho ca vindo e finalmente ca estas. Diz-me la: ja tens um book completo?

Beijokas

quel said...

olha, esse texto é tão lindo!

CharlieBrown said...

...e allora che aspetti a partecipare al quilt???
(perdõa o italiano, mais não sei como escrever na tua lingua!;)

kanuthya said...

charliebrown grazie :) sabes escrever, sim! anche se in questi giorni la vita sarà complicata, cercherò di partecipare, è un progetto bellíssimo! quello che vorrei è proprio cucire qualcosa, allora forse solo in fine settembre.sono ancora in tempo? :) (scusami tu gli errori, col casino di lingue nella mia testa, non so davvero più quello che scrivo...)

elite Obrigada pelo carinho, querida :)
Já tenho um livro há cerca de um ano, mas estou a rever "tecnicamente", o conteúdo acho melhor já não lhe tocar, apesar da vergonha e desagrado em relação a muitos momentos do dito cujo. Bem, no fundo acho que não tenho coragem de lhe mexer devido ao profundo amor que tenho por um personagem em particular :) Novos livros, tenho vários em esboço, mas a vida está a cair-me em cima da cabeça, juro...
Em relação ao teu James, a julgar pela presença predominante (se bem lembro o que escreveste há tempos) do diálogo e pelo número de páginas que já atingiu, é de pensares se não será melhor transformá-lo em argumento de série! :) Bem, ou então, editá-lo em partes distintas, quiçá como As Brumas de Avalon :) Que me dizes?

quel Obrigada :)Já tinha saudades de te visitar, embora durante a viagem desse de vez em quando uma espreitadela rápida!

kanuthya said...

errata ao comentário à elite: a UMA personagem, queria eu escrever...

_+*A Elite in Paris*+_ said...

Ola Kanuthya :) como vais? ja li os posts acima e sao ca uma GULOSEIMA :) estou de novo em montpellier e volto para paris na 3a feira, e tu onde estas?

Sobre personagens: sabes que o meu personagem principal nao é adoravel, maduro, tudo o que ha de bom? mas da para gostar dela na mesma.

Do que leste nao achaste bom?

Depois dizes-me.

BEIJOKAS :)

kanuthya said...

elite recordo ter lido dois passos da tua obra em progresso, mas o que recordo envolvia outras personagens, creio. A personagem central é a James, certo? Vou voltar atrás e ler o passo em que ela intervém para recordar melhor:)
Claro que tu vês a tua protagonista assim, pois vês a ti mesma, e o que é adorável e maduro e tudo de bom é altamente discutível, além de potencialmente chato. Para a escreveres bem deves amá-la, por todas as suas qualidades e defeitos, pelo que ela é. No caso da personagem que amo no meu livro, ela não é a protagonista, embora tenha um papel central. É baseada numa pessoa da minha vida, adorável, mas com muitos defeitos :)

kanuthya said...

elite esqueci-me de dizer que do que li achei a escrita viva e interessante, reveladora :)