Wednesday, July 12, 2006

Tudo isto existe, nem tudo é triste, mas tudo, tudo isto é fado - II






Powered by Castpost
Argentina Santos - Vida Vivida


Os amores difíceis são muito melhores, e estive convenientemente zangada com Lisboa durante um tempo, para depois abrir renovadas portas, consuma-se a paixão à descarada. Devo a renovação a um outro amor. Sonhei com ele viver entre Graça e Alfama, encher os parapeitos de janelas de flores de cores bizarras, estender a roupa em frágeis varais de chinela no pé. Sonhei até ver passar um dia, distraída dos tempos modernos, uma varina a caminho da ribeira, uma Rosa que vendesse limões ou uma Júlia que carregasse flores murchas. Então eu entraria na cozinha e abriria o pote com moedas e dar-lhe ia todas, a qualquer uma delas.

Esta senhora nasceu em Alfama. E em Alfama seguiu vivendo e cantando. Foi de poucos discos, menos aparições, poucos instantes em película registados para posteridade. Era convidada de honra na Grande Noite do Fado, mas saía do palco apressada, tinha que voltar para o restaurante, fritar os pastéis de bacalhau e cantar. Consta que só canta na sua Parreirinha de Alfama quando quer, segredou-me um francês que diz ter tido a honra de escutar a caprichosa diva. Eu cá digo que é honesta e que para o fado não se marcam horas.

Aproximando-se a passagem por Lisboa (ou Lesboa, como diria ela), vai crescendo em mim uma certa frustração, por saber que o meu sonho de a ouvir cantar ao vivo muito dificilmente será concretizado. O tempo é pouco, ou se calhar como ela canta, o tempo fica e a gente é que vai passando.

5 comments:

Anonymous said...

oi! estou passando por aquì! :-)

CharlieBrown

Carolina said...

Não consigo ouvir bem aqui. Tem interferências.
Mas, conheço e é fantástica!

_+*A Elite in Paris*+_ said...

Reencontrei-me com Lisboa, àantiga, com este post :) OBRIGADA!

Effe said...

Lisboa, Lisboa,
è come il nome di un frutto troppo dolce, di un fiore troppo aperto.
Sono andato a Lisboa solo per Pessoa, per viverlo, per conoscere quelle strade.
La città mi ha vinto, preso, e lasciato mai più.
Se potessi, vivrei a Lisboa.
Se potessi, la canterei.

(se incontra quella signora, le dica che un italiano la prega fino alle lacrime di cantare una canzone che lui non potrà sentire mai)

kanuthya said...

CharlieBrown És sempre bem vinda! :)

carolina Estranho, talvez tenha algum programa ligado que cause essas interferências.

Jess Fico feliz pelo teu reencontro:) Cá para mim, deviamos conspirar para Portugal seduzir a Jo Ann (gulp, espero que ela não se zangue)

effe Lisbona è proprio una donna irresistibile. Infatti i poeti l'hanno cantata proprio così, le sue colline sono il corpo di una donna...